Liderança pelo exemplo: Líderes humanos, líderes possíveis.

Por Alisson Pereira |

Boa parte dos best-sellers tratam a liderança a partir do exemplo de grandes personalidades, gente que mobiliza multidões através do discurso e da sua capacidade de persuadir. É o grande líder indiano que enfrentou um império, é o grande esportista que trouxe medalhas, ou empreendedor que começou pequeno e hoje monopoliza o mercado de smartphones e computadores e tantos outros que, pelo excesso de exposição, acabam gerando ora admiração pelos grandes feitos, ou aquela sensação de que liderança só pode ser realizada por “gente grande” ou por gente que “ já está lá”.

Em minha visão, liderar não se resume a grandes multidões ou grandes feitos, ou até de camaradas que ficam milionários do dia para a noite com a venda de uma solução jamais vista no mercado. Na minha perspectiva, liderar é influenciar outras pessoas pelo exemplo. Simples assim.

Quero trazer neste artigo histórias de gente de carne e osso que resolveram transformar as vidas de outras pessoas através de sua iniciativa e exemplo.

O que vocês acham de uma pessoa que largou tudo para trás para ajudar uma vila a construir um espaço educacional ao pé da Cordilheira dos Antes? Pois bem, foi isso que Maria Carolina fez após se deparar com um quadro muito difícil de enfrentar em uma aldeia peruana na cidade de Huánuco, no Peru: pessoas passando fome, diversos casos de índices de educação baixíssimos e famílias marcadas pela violência do grupo terrorista Sendero Luminoso, entre tantos outros problemas.

3

Maria Carolina, paulistana, moradora do bairro da Barra Funda, levou seu projeto “Acordando Palavras” a nível extremo com uma formula simples: juntou pessoas dispostas a ajudar, captou recursos, capacitou lideranças e construiu  a “Tienda Acordando Palabras”, que é um espaço educacional para atender as crianças com dificuldades de aprendizagem da comunidade.

2

Construção do Espaço de Aprendizagem em Huánuco – Peru.

Várias reflexões poderiam ser feitas a partir do exemplo de Maria Carolina, entretanto, o foco que aqui será dado é sobre liderança. John C. Maxwell, especialista no tema, afirma que liderança tem mais a ver com disposição do que com posição. A sua disposição em cumprir sua missão de vida mobilizou boa parcela de uma comunidade a olhar para seus próprios problemas com mais coragem e ousadia e, a partir disso, transformar sua paupérrima condição em uma vida melhor.

A disposição de Maria Carolina em servir àquelas pessoas fez com que ela superasse suas próprias limitações. Por exemplo: Maria Carolina não sabia muita coisa sobre a construção de casas. A partir da mobilização de várias pessoas em torno de um objetivo comum (construção de um espaço educacional), colocou na prática o que vários manuais de liderança tanto recomendam: liderar é realizar através das pessoas. E por elas.
Acredito que você já percebeu que não é necessário que você saiba de tudo para realizar algo fantástico. O ponta pé inicial de tudo é a disposição e dar o exemplo. Estar disposto a realizar faz com que você se conecte com as pessoas e recursos necessários para que fazer o que tem que ser feito. Isso não é mandinga. Trata-se de uma questão de foco.

1

Felicidade da realização coletiva: obra pronta.

Quanto falo de liderar pelo exemplo não tenho a intenção de trazer nenhum tipo de argumento moralista, como se a pessoa que lidera tem a obrigação de ser perfeita, ou que exista uma lista pronta e acabada de comportamentos aceitáveis ou “extremamente necessários para a conduta de um líder”. O que quero mostrar aqui é que você e eu, através da nossa disposição em transformar uma realidade, podemos influenciar positivamente outras pessoas a realizarem coisas fantásticas através da nossa disposição e, consequentemente, exemplo.

Muito menos me valer de meritocracia para justificar o comportamento heroico de gente pobre que realizou grandes feitos ao estilo “ Se ele é pobre e conseguiu, qualquer um pode conseguir…”. Não. Meritocracia quando há desigualdade é crueldade. Na verdade, o que desejo mostrar também é que, como seres autônomos que podemos ser, podemos mudar nossa própria condição a despeito do descaso do poder público, como é o caso da vila peruana.
Que possamos a cada dia dar visibilidade de líderes que respirar e encaram o cotidiano aqui embaixo da pirâmide. De pessoas que sejam tanto questionadoras, tanto transformadoras!

Fonte: Página1News

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *